18 de mai de 2012

Luto e Recomeço (parte II)


Eu gostaria de me recordar de tudo que passei com Asher, hoje olho pela janela de meu apartamento: um dia nublado, uma xicara de café nas mãos e o aroma do café invadindo a mente, a cidade se movimentando; tudo isto me faz lembrar dos momentos em que este quarto foi onde todo o mundo perdia o sentido como agora. Eu sempre me senti fora de eixo e foi com ele que consegui me encontrar de alguma forma. E quem poderia dizer que um menino casual e aparentemente previsível poderia mudar os rumos de uma outra vida, quer por sinal: egocêntrica e egoísta.
A simplicidade de Asher fazia me ver como um demônio. Ele era imperfeito, isto é indiscutível, mas parecia que acertava mais do que errava. O seu sorriso embaraçoso que surgia todas as vezes que revelava um escândalo da minha parte. Ele me compreendia e me amou, mesmo com tudo aquilo que o mundo condenaria. A ternura e paciência de Asher era comovente e isto me intrigava, pois ele não era um ancião, mas um jovem como eu. Aos olhos do mundo ele foi um careta, mas eu que estive com ele todos os dias durante um tempo pude perceber algo sublime e divino em um ser humano tão frágil e pequeno.
Edwin está sofrendo tanto, não sei o que dizer a ele. Asher foi tão generoso que além de seu amor deu-me também seu melhor amigo. E Edwin Orson desde sempre esteve conosco, ele não fazia parte de nossa relação, mas ele nos completava. Sempre generoso e centrado, ele perdeu o chão quando perdeu seu amigo irmão.
Vejo Edwin andar pelo parque tentando correr novamente, como fazia com Asher, os turistas com suas câmeras o fazem recordar da fascinação que Asher tinha por imagem. Asher sempre encontrara beleza nesta fria cidade de concreto.
Encontro-me com Edwin todos os dias no café que nós três costumávamos ir sempre para dar risadas de nossas vidas fúteis e sem utilidade alguma. Pedíamos sempre o mesmo, um pedido nada nova-iorquino: um café com leite forte e bem doce. Hoje estamos nós dois aqui bebendo este café, empurrando-o todos os dias pela garganta em um silencio de saudade. Não consigo olhar nos olhos de Edwin, pois ele sempre começa a chorar – é como se ele enxergasse em mim um parte de Asher, mas mal sabe ele que enxergo nele o mesmo – tentamos eu e ele juntar o que temos de Asher para então montar um a lembrança que sirva de combustível para não deixar que a tristeza nos ofusque da lembrança.
Estou escutando bastante as musicas que Asher gostava, mas não consigo para de escutar a musica que ele dedicou a nós “Hello” de Beyoncé. Ele sempre lutando por nós, sempre disposto e presente, ele sempre pedia que eu prestasse atenção no trecho: “[...]Não voe muito longe por mim, você não precisa comprar uma chave de diamante, para abrir meu coração, você abriga minha alma, você é meu fogo quando estou fria, eu quero que você saiba [...]”.
  O que posso dizer diante de tanto amor e carinho e foi assim desde o inicio, eu tentei qualquer rebeldia, mas fiquei presa aos encantos do menino sem valor.

7 comentários:

  1. Tua escrita é cuidadosa e encantadora, parabéns. worse-or-better.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Tô amando ver a continuação disso. daria um ótimo livro nas livrarias! *O*
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Incrível essa parte. Eu li a primeira e amei, mas essa segunda parte ficou demais. Quero ver a próxima! Amei mesmo. Imagina como é dificil para ela recomeçar tudo outra vez, ainda tendo que relembrar daquela pessoa todos os dias através de outra? Dificil. Enfim, amei as músicas da bey no player. Fiquei aqui escutando todas! KKKKK

    Beijos,
    Monique <3

    P.S.: VEJA PLL MESMO :D Eu acabei de rever as duas temporadas. Super amo!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do seu blog.Bem escrito.Amar só é bom quando se é amada.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o blog, muito lindo, amei tudo. Parabéns mesmo vou sempre estar por aqui (:

    ontendency.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. ADOREI
    A escrita, as palavras, o texto como um todo, a narrativa...adorei tudo.
    Meus parabéns.
    Eu me senti em uma cafeteria com um amigo tentando entender a perda de um grande amor.
    Gostei muito, parabéns.

    ResponderExcluir
  7. não tava conseguindo comentar no outro post :(
    Seu blog e uma fofura, tem uma cara de Tumblr
    adorei, você usa palavras simples para falar sentimentos complicados foi isso que mais me chamou
    a atenção !
    http://alternativateen.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir